Pecado capital

A mulher entra no vagão do metrô e logo pede em voz alta “uma ajuda, um pão, um passe, um pacote de bolacha, qualquer coisa”.

A moça de vermelho oferece à mulher cinco reais, numa nota dobradinha.

A moça de branco se surpreende: “cinco reais é bastante, hein! Tá sobrando”.

— Pior que não, colega, mas hoje tive um dia bom.

— Que lhe volte em dobro.

— Vai voltar. Sou pobre, mas ajudo quando posso.

— É… Quem ajuda o pobre é outro pobre, na maioria das vezes.

— Eu sei o que é passar fome, dever até as calças… Mas eu sei que o que vai volta. Tenho saúde pra trabalhar e faço dinheiro amanhã de novo.

— Verdade. Graças a Deus.

— Mas é… é pobre ajudando pobre. Gente rica é avarenta.

— Gente rica vive com medo de virar pobre.

— Mesquinhez, né? Mata a gente por dentro.

Publicado por

Flávia Siqueira

Escrevinhante

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s